Feed on
Posts
Comments

Neste ano de 2018, criamos as comunidades Bimodais.

Trata-se de movimento para disseminar o que vou chamar de Sabedoria Bimodal, capacidade de pessoas, profissionais e organizações a lidar com um mundo que está acabando e outro que começa.

Para lidar com este cenário complexo, é preciso conceitos mais consistentes.

Diria que um Bimodal precisa rever alguns paradigmas de como pensamos tecnologia, demografia, felicidade, realidade, mídia e administração para poder nos situar neste futuro que passou do incremental para o disruptivo.

Os grupos são todos gratuitos e pelo Whatsapp.

O que esperar dos grupos?

O meu compromisso:

  • Coloco artigos diários sobre o mundo bimodal, acompanhados sempre de um áudio curto;
  • Temos as leituras compartilhadas que permite que analisemos livros, a partir das nossas filosofias, teorias e metodologias.

O compromisso dos participantes:

  • Evitar ruídos, do tipo, auto-promoção, anúncios de eventos pagos, correntes, piadas, discussões partidárias.

Para entrar, é simples, me manda um zap, por aqui e diz na mensagem: quero ser bimodal!

Vais receber os links.

Abraços,

Nepô
(Curador da Comunidade Bimodal)

 

11 Responses to “Comunidade Bimodal: o que ela come?”

  1. […] as atividades dos Bimodais, além dos grupos pelo Whatsapp (gratuitos e pago) temos ainda o curso básico de formação (que ganhará em 2019 o […]

  2. […] esforço de revisão de conceitos é o que temos feito na Comunidades dos Bimodais, tanto nos grupos abertos, quanto nos fechados, curso e grupos […]

  3. […] você quiser conhecer mais nossa comunidade aberta ou nossas atividades exclusivas, me manda um zap – […]

  4. […] debate sobre razão e emoção surgiu nos nossa Comunidade Bimodal Aberta. E é desenvolvida de forma mais detalhada no nosso Curso Básico sobre a […]

  5. […] parte do que estamos chamando de Autonomia Bimodal, uma das pesquisas de um dos Formandos de nossa Comunidade Bimodal, desenvolvida pela Paula Caputo no Programa de Formação […]

Leave a Reply

WhatsApp chat