Feed on
Posts
Comments

O áudio do artigo.

Link encurtado: https://bit.ly/artigobimodal251021

Novas Hashtags:

#Intermediadores_Obsoletos com o tempo os intermediadores vão perdendo a capacidade de manter o mesmo desempenho, devido ao aumento da Complexidade Demográfica.

Resumo do artigo em tabela:

Qual é o tópico do artigo?

Saiba mais sobre a divisão acima, neste artigo.

Vamos ao artigo:

“As pessoas fazem a história, mas dificilmente sabem o que estão fazendo.”  – Christopher Lee.

Todo processo de sobrevivência de qualquer Espécie Social, incluindo a humana, tem algum tipo de intermediação.

Administrar é intermediar processos, através de modos cada vez mais sofisticados de comando e controle.

Modelos de Comando e Controle visam estabelecer a melhor relação possível entre demanda e oferta ou entre escassez e abundância.

Toda a intermediação humana é Intermidiada pelas mídias.

Mudou a mídia, mudou o Modelo de Intermidiação!

As Mídias são as tecnologias que estabelecem os limites e as possibilidades das trocas humanas na Macro-História.

Os Modelos de Sobrevivência humanos são o que são pelas Mídias que temos disponíveis.

Quanto temos novas Mídias, temos a possibilidade de criar Modelos de Sobrevivência mais sofisticados, que permitem lidar, de forma mais adequada, com o Patamar de Complexidade, sempre progressivo.

Assim, quando se aumenta a população, estamos gradualmente aumentando a Taxa de Obsolescência da Intermediação da Sobrevivência de plantão.

Vejamos:

  • Um juiz, por exemplo, pode julgar 100 processos por mês, mas terá dificuldade se tiver que julgar 700, multiplicando por sete a demanda, devido ao aumento populacional na mesma proporção, como foi o caso no Brasil, nos últimos 120 anos;
  • Um parlamentar pode representar 50 mil habitantes, mas terá dificuldade de fazer o mesmo com 350 mil, devido ao aumento populacional na mesma proporção, como foi o caso no Brasil, nos últimos 120 anos.

O Sapiens, por ser uma Tecnoespécie, vive um processo permanente de Obsolescência Progressiva dos Intermediadores de Plantão.

O Modelo de Intermediação atual não foi feito para o novo Patamar Demográfico que alcançamos.

Deveria ser naturalmente esperado o surgimento de Revoluções Midiáticas, mas isso ainda não é de uso corrente nas análises históricas do Sapiens.

Uma coisa é um juiz e um parlamentar dentro de um determinado Patamar de Complexidade e Modelo de Intermediação e outra coisa é quando são obrigados a operar com uma complexidade muito maior.

O Sapiens, portanto, precisa, de tempos em tempos, promover mudanças não só incrementais ou radicais, mas disruptiva no seu Modelo de Sobrevivência.

Mudanças disruptivas implicam alteração na sua Filosofia de Intermediação.

A Filosofia da Intermediação é a forma como concebemos os Modelos de Comando e Controle, a partir das Mídias disponíveis.

Se analisarmos o passado, temos criado Filosofias de Intermediação cada vez mais participativas, tanto na operação quanto nas decisões dos processos administrativos.

Isso faz parte de uma Regra Estrutural da espécie:

Quanto mais Sapiens colocamos no mundo, mais e mais teremos que descentralizar as operações e as decisões dos processos de sobrevivência.

Regras Estruturais são aquelas que norteiam movimentos recorrentes, que sempre são necessários para garantir a melhor qualidade possível de sobrevivência – uma demanda de todas as espécies vivas.

Podemos dizer, assim, que na adaptação do Sapiens pela sobrevivência vivemos um processo natural e gradual de Obsolescência dos Intermediadores.

Revoluções Civilizacionais, que se iniciam com novas Mídias, procuram, principalmente, substituir os Intermediadores Obsoletos por outros mais sofisticados. É o que assistimos no passado e estamos vendo agora.

Intermediadores Obsoletos são pessoas, regras, leis, organizações, que passam a intermediar processos na sociedade em função do Ambiente Midiático disponível, que vão perdendo a sua capacidade de atender bem diante do aumento gradual da Complexidade Demográfica.

Além do problema da ineficácia operacional dos Intermediadores Obsoletos, temos um outro desafio: o apego que os Intermediadores de Plantão passam a ter pelo Modelo de Intermediação, que os beneficiou no passado.

Como diz a frase:

“O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente.” – John Emerich Edward.

Intermediadores Obsoletos vão gradualmente aprendendo, ao longo do tempo, formas de se beneficiar do Modelo de Intermediação disponível, aumentando a taxa de autobenefício e reduzindo a de prestação de serviços para os demais. 

Assim, a sociedade passa a viver um período de Decadência Civilizacional, a fase final de uma Era Midiática, na qual Intermediadores Obsoletos passam a controlar a maior parte dos processos, de forma cada vez MENOS eficaz e mais autocentrada.

(Um livro que analisa, de forma adequada, este processo é o “Colapso” de Jared Diamond.)

Intermediadores Obsoletos resistem bravamente a qualquer tipo de mudança que vá modificar a forma como estão acostumados a sobreviver.

Uma Revolução Midiática, basicamente, ocorre para Reintermediar ou Reintermidiar Processos, criando Modelos de Intermediação mais eficazes por serem compatíveis com a nova Complexidade Demográfica, desbancando, gradualmente, o poder dos antigos Intermediadores Obsoletos.

O que estamos assistindo tanto na Digitalização 1.0 quanto na 2.0 é um processo de Reintermediação da Sobrevivência, substituindo Intermediadores Obsoletos por outros mais sofisticados.

Vejamos:

Na Reintermediação Digital 1.0 se manteve a mesma Filosofia de Intermediação, na qual há um intermediador, que controla diretamente os processos. Um exemplo disso é o Netflix, se comparado com as televisões tradicionais;

Na Reintermediação Digital 2.0 se modifica, de forma disruptiva, a Filosofia de Intermediação, na qual há um novo tipo de intermediador, que NÃO controla mais diretamente os processos, passando a promover um controle indireto, via algoritmos, criando Comunidades de Consumo. Um exemplo disso é o Youtube, se comparado com o Netflix.

É isso, que dizes?

Quer sair de Matrix e não sabe onde comprar a pílula vermelha? Me manda um Zap: 21-996086422 (Nepô, quero sair de Matrix!)
Ou: https://sun.eduzz.com/932565

Quer ser um parceiro da BIMODAIS e ganhar a cada aluno novo indicado? Entre por aqui: https://bit.ly/bimodalparceiro

Quer comprar o último livro feito dentro da escola “Civilização 2.0”, é por aqui:
https://sun.eduzz.com/347192

GRIFOS EM NEGRITO: CONCEITOS BIMODAIS

GRIFOS EM NEGRITO E AZUL: NOVOS CONCEITOS BIMODAIS (MARCO A COR SÓ NA PRIMEIRA VEZ QUE APARECE, DEPOIS FICA EM NEGRITO).

GRIFOS EM NEGRITO E AZUL SUBLINHADO:LINKS PARA AS HASHTAGS BIMODAIS.

GRIFOS EM ITÁLICO E VERMELHO: DESCRIÇÃO DE CONCEITOS BIMODAIS CLÁSSICOS.

GRIFOS EM ITÁLICO E ROXO: DESCRIÇÃO DE NOVOS CONCEITOS BIMODAIS.

GRIFOS EM NEGRITO E VERDE: NEOLOGISMOS BIMODAIS PARA MELHORAR A NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E MARROM: HASHTAGS BIMODAIS PARA ORGANIZAR A NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E LARANJA: SÃO AS REGRAS BIMODAIS DENTRO DA NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E ROSA: SÃO AS PROJEÇÕES BIMODAIS DENTRO DA NARRATIVA.

PALAVRAS EM CAIXA ALTA E NEGRITO: CHAMANDO A ATENÇÃO DO LEITOR PARA ALGO ESPECÍFICO, DO TIPO OBRIGATORIAMENTE.

Os parágrafos que estão deslocados foram selecionados como as melhores frases do mês ou as definições conceituais mais relevantes, que são enviadas regularmente para os Bimodais e incluídas no Mapa Mental dos Bimodais para consulta permanente.

O presente artigo se encaixa nos seguintes tópicos no ROTEIRO – MAPA MENTAL BIMODAL:

(Entre para a Escola para ter acesso completo ao MAPA MENTAL BIMODAL com o roteiro da formação, no qual temos os links para todos os artigos e áudios sobre as nossas diversas Metodologias Futuristas. Aqui, você terá a possibilidade de dialogar sobre as metodologias com o Curador da Escola e com os outros Bimodais. Mande um Zap: 21-99608-6422.)

 

 

Leave a Reply

WhatsApp chat