Feed on
Posts
Comments

O áudio do artigo (exclusivo para os Bimodais, com exceção das quartas, quando disponibilizo na rede.) 

O que aprendi com este artigo?

Resumo feito por um Chatbox:

O texto do Nepô na sua primeira parte aborda o conceito de Alienação Saudável, que envolve a escolha de se afastar parcial ou completamente das notícias diárias em favor de conteúdos mais aprofundados, como livros e áudios longos, especialmente diante do aumento exponencial da informação na Civilização 2.0. Nepô também discute a importância de uma ciência equilibrada, destacando a necessidade de priorizar o estudo dos fenômenos que afetam a sobrevivência humana. Além disso, ele introduz uma nova classificação da bibliografia em: básica, intermediária e periférica. O texto segue com reflexões sobre o futuro da Inovação Pessoal, destacando a demanda por projetos existenciais mais consistentes na era da Civilização 2.0. Por fim, Nepô aborda a Psicologia 2.0 e a divisão entre Preventistas e Pósventistas na Inovação Pessoal, delineando seus papéis na promoção de guias de felicidade mais fortes e no apoio emocional às pessoas.

O texto, do Nepô, na segunda parte, aborda a bimodalização do Estoicismo, destacando sua proposta de trazer sugestões de uma vida melhor para a praça, fora das catedrais. Ele destaca duas linhas claras do estoicismo: a divulgação das propostas sobre felicidade para um público mais amplo e o foco na singularização através da busca constante pela excelência e virtude. O autor ressalta que o estoicismo foi um movimento de protesto contra projetos de felicidade exclusivos para elites. Além disso, discute a relação entre os paradigmas da torre e da praça, defendendo a tendência dos paradigmas da praça em se disseminar mais na sociedade horizontalizada. Ele destaca a necessidade de evitar que o estoicismo se torne estéril, enfatizando sua aplicação prática na vida moderna. O texto também aborda a questão da sabedoria, destacando-a como um processo contínuo de aumento gradual da melhoria das tomadas de decisões na direção de uma vida melhor. Finalmente, explora em formato de tabela uma vida mais virtuosa com uma vida menos virtuosa, destacando as diferenças em relação ao pensamento de longo prazo, controle emocional, desenvolvimento do potencial singular e outros aspectos.

Frases de Divulgação do Artigo:

  1. Qual é o objetivo da Psicologia 2.0? Que as pessoas consigam – de forma mais autônoma possível – tocar sozinha Propostas Existenciais Mais Fortes.
  2. Ter uma Taxa de Sabedoria maior significa tomar decisões melhores, mais afinadas com os nossos potenciais e com o bem viver.
  3. O Estoicismo foi, antes de tudo, um movimento de protesto contra projetos de felicidade feitos para o pessoal da torre, que não descia para a praça!
  4. Tanto a humanidade, quanto cada Sapiens é um processo em movimento. Não existe o somos ou o sou, mas o estamos e estou.
  5. Na Civilização 2.0, diante do aumento exponencial da informação, precisamos cada vez mais pensar no longo prazo e em padrões.
  6. Numa ciência mais equilibrada e saudável, o esforço para aquilo que afeta a sobrevivência deve ser maior do que aquilo que não afeta.
  7. O movimento da Psicologia 2.0 (TCC, Trec, Positiva) tem sido na mesma direção: mais praça e menos torre.
  8. O movimento Estóico foi a defesa dos Paradigmas da Praça contra os Paradigmas da Torre.

Os Mapas Mentais do Artigo:

Vamos ao Artigo:

“Ninguém deve ousar dizer que é sábio, embora todos devam ousar tentar sê-lo.”Robertson.

Um primeiro parênteses.

Alienação Saudável

Na mentoria feita ontem com o Fábio Mendes aprofundei o conceito da Alienação Saudável.

O que é?

Quando abrimos mão de forma parcial ou completa para as notícias diárias e nos concentramos mais em conteúdos contemporâneos mais aprofundados, tal como áudios longos e, principalmente, livros.

Por que isso sempre foi importante e ainda mais agora?

Na Civilização 2.0, diante do aumento exponencial da informação disponível:

Precisamos cada vez mais pensar no longo prazo e em padrões;
Muito mais do que no curto e nas percepções.

A Alienação Consciente e Saudável nos leva para consumir conteúdos mais significativos e que nos dão mais base para enfrentar um mundo mais dinâmico.

Segundo parênteses.

Melhorando a visão de Ciência

Na mesma mentoria, conversamos sobre ciência e argumentei que a ciência se divide em duas no estudo de explicações e sugestões das melhores ações para:

Fenômenos Incontroláveis – terremoto, tempestades, tsunamis, explosões de estrelas;
Fenômenos Controláveis – produção de alimentos, de roupas, sapatos, de estradas.

Diante dos Fenômenos Incontroláveis, temos outra divisão:

Fenômenos Incontroláveis que afetam a sobrevivência do Sapiens – terremoto, tempestades, tsunamis;
Fenômenos Incontroláveis que NÃO afetam a sobrevivência do Sapiens – explosões de estrelas ou a reprodução dos golfinhos no meio do oceano.

Os Fenômenos Incontroláveis que NÃO afetam a sobrevivência do Sapiens são estudados para ou aplacar a nossa curiosidade ou serem úteis de alguma forma no futuro.

Numa ciência mais equilibrada e saudável, o esforço para aquilo que afeta a sobrevivência deve ser maior do que aquilo que não afeta.

Terceiro Parênteses.

As divisões da Bibliografia: Básica, Intermediária e Periférica

Faltou dizer no artigo passado, que criei uma nova classificação da bibliografia:

Bibliografia Básica – fundamental para a formação Bimodal;
Bibliografia Intermediária – que é relevante, mas não vital;
Bibliografia Periférica – referência para os totalmente nerds no tema.

E já enquadrei os livros nesse novo modelo.

O Futuro da Inovação Pessoal 2.0 (Conceito de Cozinha) ou Psicologia 2.0 (Conceito de Sala)

Antes de voltar ao texto, porém, vamos falar um pouco sobre o futuro da Inovação Pessoal.

Um alerta em termos conceituais:

Do ponto de vista de Conceito de Sala, vamos chamar de Psicologia 2.0;
Para efeito de Conceito de Cozinha, vamos chamar de Inovação Pessoal Emocional 2.0.

Qual é a nova demanda do Sapiens 2.0 na demanda pela Inovação Pessoal Emocional?

Mais escolhas e Mais informação dentro da Civilização 2.0, geram mais demanda por Projetos Existenciais Mais Consistentes;
Isso nos leva a um esforço maior na Prevenção, pois teremos muito mais instabilidade do que no passado;
Isso demanda um trabalho maior de Guias de Felicidade Mais Fortes (Projetos Existenciais Mais Fortes);
E ainda uso intenso de Tecnologias Curadoras, que nos permitem um atendimento mais personalizado, de mais qualidade com custo menor.

Em função da Revolução da Sobrevivência 2.0, passamos a ter uma forte demanda por Projetos Existenciais Mais Consistentes.

E, por causa disso, estamos indo ao passado, revisando tudo que já foi feito neste campo, tal como o resgate das Sugestões Estóicas e do Ikigai.

Quando falamos, por fim, da Psicologia 2.0 (Conceito de Sala) ou Inovação Pessoal Emocional (Conceito de Cozinha), faltou dizer algo importante.

Novo Conceito: Tecnologias Curadoras

(Tecnologias Curadoras – aquelas que favorecem a Curadoria – o novo Macro Modelo de Sobrevivência do Sapiens.)

As obrigatórias escolhas da Psicologia 2.0

O pessoal que vai trabalhar na Psicologia 2.0 vai, na verdade, abraçar uma determinada linha de Proposta Existencial.

Nova divisão na Inovação Pessoal PIPCs e PIPEs Preventistas e Pósventistas

Eis a nova divisão na Inovação Pessoal:

Profissionais da Inovação Pessoal – aqueles que se dedicam a melhorar a vida das pessoas, podem ser emocionais (hoje psicólogos e afins) ou corporais (médicos e afins);
Profissionais da Inovação Pessoal Corporal (PIPCs) – aqueles que se dedicam a melhorar a relação das pessoas com o corpo;
Profissionais da Inovação Pessoal Emocional (PIPEs) – aqueles que se dedicam a melhorar a relação das pessoas com a mente e as emoções.

Todos os profissionais da Inovação Pessoal estarão defendendo o mesmo Projeto de Felicidade, a diferença será de que tipo de relação com o que estamos falando:

Com o corpo?
Com a mente e com as emoções?
E quando for com a mente e com as emoções, de que tipo de problema relacional estamos falando? Mais grave ou mais brando?

O objetivo dos PIPEs (Profissionais de Inovação Pessoal Emocionais) será que as pessoas consigam se utilizar dos Projetos de Felicidade Mais Fortes.

A Proposta Existencial (também chamada na sala de Guia de Felicidade) será um guia tanto para os PIPEs Preventistas como para os Pósventistas.

Qual é o objetivo da Psicologia 2.0? Que as pessoas consigam – de forma mais autônoma possível – tocar sozinha as Propostas Existenciais Mais Fortes.

A diferença entre Preventistas e os Pósventistas

Eis a divisão que haverá entre os Preventistas e os Pósventistas:

Preventistas da Inovação Pessoal 2.0 – aqueles que ajudam pessoas a usar os Guias de Felicidade Mais Fortes (Propostas Existenciais Mais Fortes);
Pósventistas da Inovação Pessoal 2.0 – aqueles que ajudam pessoas com problemas emocionais mais agudos e profundos a usar os Guias de Felicidade Mais Fortes (Propostas Existenciais Mais Fortes).

Dito isso, continuemos a Bimodalização do livro “Estoicismo e a arte da felicidade” de Donald Robertson.

Este é o segundo artigo.

O Estoicismo, ou como Bimodalizamos, o Pracismo ou o Bazarcismo, pretende trazer as Sugestões de uma vida melhor para a praça, tirando o papo da Catedral.

As duas linhas claras do Estoicismo

Estoicismo, assim, no nosso entender, tem duas propostas:

Do ponto de vista do foco da divulgação – tornar as propostas sobre felicidade disponível para cada vez mais gente, tirando o papo das catedrais e a colocando nos bazares;
Do ponto de vista do tipo de felicidade – um foco na singularização, através da procura da constante busca da excelência, procurando fugir dos vícios e aumentar a taxa da virtude.

Diz ele:

“A ênfase do estoicismo seja muito mais na prática assídua do que na discussão.”// “(…) com elementos práticos na vida diária.”

A ideia de guia de felicidade do portão (Estóico), ou do portal, é justamente esta: vamos ajudar as pessoas da rua a viver melhor.

O Estoicismo foi, antes de tudo, um movimento de protesto contra projetos de felicidade feito para o pessoal da torre, que não descia para a praça!

Os Estóicos procuraram:

Fugir do papo estéril do conhecimento pelo conhecimento;
E propor um papo profícuo, do conhecimento como uma ferramenta mais adequada para sobrevivermos melhor.

A regra da Torre e da Praça

E aqui vale uma ressalva na relação entre Torre e Praça.

Quando temos um Ambiente de Sobrevivência (pode ser local, familiar, organizacional ou civilizacional) Mais Verticalizado, a tendência é que os Paradigmas da Torre tendam a se disseminar mais pela sociedade;
Quando temos um Ambiente de Sobrevivência (pode ser local, familiar, organizacional ou civilizacional) Mais Horizontalizado, a tendência é que os Paradigmas da Praça tendam a se disseminar mais pela sociedade.

E aqui temos uma diferença importante:

Nos Paradigmas da Torre – a tendência é que tudo passe a ser feito, a partir dos interesses dos centros e não das pontas, tornando os objetivos voltados da Torre para a Torre;
Nos Paradigmas da Praça – a tendência é que tudo passe a ser feito, a partir dos interesses da praça e não do centro, tornando os objetivos voltados da Praça para a Praça.

O movimento Estóico foi a defesa dos Paradigmas da Praça contra os Paradigmas da Torre.

Assim como:

O movimento da Psicologia 2.0 (TCC, Trec, Positiva) tem sido na mesma direção: mais praça e menos torre.

Ele se pergunta:

“Quem sabe agora estejamos entrando na era do ciberestoicismo?”

Acredito que estamos entrando na popularização da Inovação Pessoal Emocional Preventiva e que algo do Estoicismo será útil nessa jornada.

É um movimento, como já tivemos diversos no passado, da Praça contra a Torre.

Ciência Estéril ou Eunuca

Richardson lembra e reforça a dicotomia Praça versus Torre que a ideia básica do Estoicismo era o de ser algo aberto e voltado para as pessoas e que é preciso:

“Devemos ser especialmente cautelosos para que o estoicismo não se transforme em um assunto estéril e acadêmico.”

Diria que o problema não é “ser acadêmico”, mas de que tipo de acadêmico estamos falando.

O questionamento aqui é o da Ciência Estéril ou Eunuca que é voltada para ela mesma e os problemas que importam não é da sociedade, mas dos próprios pesquisadores.

Algo típico de uma Era das Torres.

Na Era das Torres o que importa é o interesse do centro sobre as pontas. A Torre focada em resolver os problemas da própria Torre.

O termo estéril é bom. O que nos diz TC:

“”Estéril” geralmente se refere à incapacidade de conceber ou produzir descendência. Pode ser usado para descrever tanto a infertilidade em seres humanos e animais quanto a incapacidade de produzir plantas, frutos ou sementes em uma área específica, como um solo estéril. Também pode se referir à ausência de vida microbiana em ambientes como laboratórios estéreis. isso é bom.”

Ciência estéril é aquela que é incapaz de ajudar, de alguma maneira, o Sapiens a viver melhor.

A proposta do Estoicismo é tornar popular Propostas Existenciais Mais Fortes. Richardson se mostra um estudioso e defensor ferrenho daquela linha de propostas:

“Há mais de dez anos venho tentando assimilar o estoicismo, em termos de estratégias práticas específicas, bem como a maneira geral como vivo minha vida.” // “O estoicismo me interessa, portanto, porque concordo com o que considero serem suas doutrinas centrais e porque acredito que seus exercícios psicológicos são de valor prático na vida moderna.”

Papo de Sábio e Sabedoria

E aí entramos na conversa sobre Sábio e Sabedoria, diz ele:

“Ninguém deve ousar dizer que é sábio, embora todos devam ousar tentar sê-lo.”

Diz o Tio Chatinho sobre isso:

“A sabedoria pode ser definida como o conhecimento profundo e a compreensão das verdades fundamentais da vida, da natureza humana e do mundo ao nosso redor. Ela vai além do mero acúmulo de informações, envolvendo discernimento, bom senso e a capacidade de aplicar esse conhecimento de maneira ética e benéfica. A sabedoria também implica em aprender com experiências passadas, avaliando as consequências das ações e tomando decisões que promovam o bem-estar próprio e dos outros a longo prazo.”

Em resumo:

Sabedoria não é conhecimento, mais o uso mais inteligente ou esperto que fazemos sobre o conhecimento para tomar decisões melhores na direção de uma vida melhor.

Ter uma Taxa de Sabedoria maior significa tomar decisões melhores, mais afinadas com os nossos potenciais e com o bem viver.

Não existe, assim, o sábio ou a sabedoria final, mais um processo progressivo e continuado de aumento gradual da Taxa de Sabedoria.

Tanto a humanidade, quanto cada Sapiens é um processo em movimento. Não existe o somos ou o sou, mas o estamos e estou.

Heráclito e a Ciência da Inovação

Como sugeriu o Fábio Mendes, lembrando Heráclitos:

“Não se pode entrar duas vezes no mesmo rio, pois quando nele se entra novamente, não se encontra as mesmas águas, e o próprio ser que ali se encontra já é outro.” – Heráclito.

Note que isso é a base da Ciência da Inovação, pois tudo está em movimento:

Os contextos à nossa volta;
E nós mesmos, pois hoje estou um dia mais velho do que ontem.

Por isso, podemos dizer que:

Não faz sentido falar em Ciência Social, mas sempre em Ciência da Inovação, que sempre nos coloca em processo.

Ser sábio, assim, não é um lugar ou uma estação de trem, mas uma estrada, na qual avançamos.

Podemos, assim, dizer que:

Quando estamos procurando melhorar de vida, estamos nos Sabientizando.

Sabientizar

Sabientizar-se significa promover o uso de forma cada vez mais inteligente e eficaz da consciência.

Consciência

A Consciência é uma espécie de curadoria dos nossos vários eus, incluindo mente e corpo, com seus respectivos legados (cultural, traumático, genético, vocacional, vivencial) nos diferentes contextos.

O eixo central da Proposta Existencial Estóica gira em torno da Virtude.

Diz ele sobre a explicação central, do ponto de vista de proposta do Estoicismo:

“O único bem é a virtude.”

Diz Tio Chatinho:

“Virtude é um termo que remete a qualidades positivas ou atributos considerados morais admiráveis. Ela está relacionada à excelência do caráter e ao comportamento ético. As virtudes variam de acordo com diferentes tradições filosóficas e culturais, mas geralmente incluem características como coragem, justiça, temperança, sabedoria, generosidade, honestidade, entre outras.

Na ética, as virtudes são frequentemente contrastadas com os vícios, que são comportamentos ou disposições negativas. Cultivar virtudes é visto como um caminho para alcançar uma vida boa e plena, tanto individualmente quanto em sociedade. Em muitas tradições filosóficas, como o estoicismo, o aristotelismo e o confucionismo, a prática e o desenvolvimento das virtudes são considerados fundamentais para o florescimento humano e a busca pela felicidade.”

Na verdade, a virtude vai se contrapor a vida Mais Virtuosa versus uma vida Menos Virtuosa.

Façamos uma tabela comparativa:

Tabela Comparativa entre uma Vida Mais Virtuosa
e uma Vida Menos Virtuosa
Vida Menos Virtuosa
Vida Mais Virtuosa
Pensamento mais no curto
do que no longo prazo;
Pensamento mais no longo
do que no curto prazo;
Mais afetada pelos Contextos Conjunturais;
Menos afetada pelos Contextos Conjunturais;
Menor controle sobre as reações emocionais diante de situações estressantes;
Maior controle sobre as reações emocionais diante de situações estressantes;
Mais guiado pela Mente Primária do que pela Secundária;
Mais guiado pela Mente Secundária do que pela Primária;
Preocupação pequena ou nenhuma de deixar Legados e desenvolver seu Potencial Singular;
Preocupação maior ou grande de deixar Legados e desenvolver seu Potencial Singular;
Baixa Taxa de BOMTRC
(Bom humor, Motivação, Tranquilidade, Resiliência e Criatividade).
Alta Taxa de BOMTRC
(Bom humor, Motivação, Tranquilidade, Resiliência e Criatividade).
Tendência ao Vitimismo
e à Reclamação;
Tendência ao Ativismo
e à Superação.

 

 

É isso, que dizes?

Nepô é o filósofo da era digital, um mestre que nos guia em meio à complexidade da transformação digital.”Leo Almeida.

“Carlos Nepomuceno me ajuda a enxergar e mapear padrões em meio ao oceano das percepções. Ele tem uma mente extremamente organizada, o que torna os conteúdos da Bimodais assertivos e comunicativos. Ser capaz de encontrar e interrelacionar padrões é condição “sine qua non” para se adaptar aos ambientes deste novo mundo.”Fernanda Pompeu.

“Os áudios do Nepô fazem muito sentido no dia a dia. É fácil ouvir Nepô é colocar um óculos para enxergar a realidade.” – Claudio de Araújo Tiradentes.

Bem vindo à Bimodais – estudamos a nova Ciência da Inovação, que se divide em Inovação Civilizacional, Grupal e Pessoal.

Estamos mais focados em 2024 na Inovação Pessoal.

Estamos entrando na Décima Primeira Imersão (de maio a junho de 2024.)

Valor: R$ 200,00, no pix.

Bora?

Quer doar e ganhar quatro aulas de aula gravada?

Por aqui:
https://chk.eduzz.com/2358389

Mais dúvidas?

Me pergunta….

Abraços,
Nepô.

Com prazer informo que meu novo livro foi este mês para as livrarias. Já está à venda na Amazon: https://a.co/d/3r3rGJ0

 

 

Leave a Reply

WhatsApp chat