Feed on
Posts
Comments

110919-Consumismo2b1

 

Muita gente confunde as duas coisas.

Quem aceita o capitalismo como o sistema econômico e acredita que ele pode ser melhorado, é social democrata.

Quem não acredita no capitalismo como sistema econômico e acredita em outro modelo como o socialismo e/ou comunismo não é social democrata.

O social democrata não acredita na luta de classes.

Ou seja, não acredita que o pobre é pobre por causa do rico. Que é preciso acabar com os ricos para que o pobre deixe de ser pobre.

O discurso socialista ou comunista acredita na luta de classe. É um discurso dito de esquerda, pois, baseado em Marx há os que detêm os meios de produção, que exploram quem não tem.

E a luta política é a dos que não têm os meios de produção contra os que têm.

Esta é a base da discussão direita versus esquerda.

Direita (detém os meios de produção);

Esquerda (não têm os meios de produção).

Quando alguém se diz de esquerda é preciso separar as duas coisas que ficam muitas vezes emboladas.

O social democrata pode até se dizer uma pessoa “de esquerda”, mas isso caracteriza uma simpatia pelas causas contra as injustiças sociais, um erro de conceito, mas que não implica na luta pelo fim do capitalismo e nem a ideia de que é preciso acabar com outra classe social.

O comunista ou socialista, que seria a esquerda clássica, sempre vai defender a bandeira da luta de classes e considerar que na luta política há inimigos.

Geralmente, para um social democrata a eleição dentro da república e do sistema capitalista é um jogo de  trocas de programas e de alternância de poder entre diferentes visões sobre problemas comuns.

Para o defensor da luta de classes, eleições significam luta política de vida e morte, pois há um inimigo que não pode continuar ou voltar ao poder.

Uma forma ainda possível de você saber melhor a sua posição é a seguinte:

Qual país você admira?

Se disser um país em que o capitalismo é o sistema econômico,  você é social democrata, tal como Estados Unidos, Suécia, Dinamarca.

Se você disser um país em que o socialismo é o sistema econômico, você é socialista ou comunista;

Se disser que você defende as ideias da luta de classes e nenhum país até hoje chegou no verdadeiro socialismo, você é socialista ou comunista.

Na eleição de 2014, o PT mostrou um lado socialista/comunista ao ter uma prática e discurso de luta de classes, contra a alternância de poder e a briga do nós e eles.

O PSDB representou mais uma social democracia, pois admite a alternância de poder dentro do capitalismo.

O PT usa um discurso duplo na sociedade.

Na eleição, ele é mais socialistas/comunista com práticas da esquerda tradicional, inclusive do que é considerado anti-ético dentro de uma eleição social democrata.

Ao longo do mandato, o PT é mais social democrata, apesar de muitas vezes ter um discurso de luta de classes.

Essa dupla mensagem engana os eleitores que têm menos experiência política.

Existem vários tipos de social democracia mais ou menos liberais, mas isso é assunto para outro papo.

O texto esclareceu algo?

Há dúvidas?

15 Responses to “Qual a diferença entre socialismo e social democracia?”

  1. Felipe disse:

    Falácias…o PT está longe de ser socialista e o PSDB não é social-democrata – é um partido neoliberal!

  2. Eduardo disse:

    Não entendi essa ideia de que direita é quem detém os meios de produção e esquerda é o “proletariado”. Quem escreveu isso, tem fonte?

    Para mim a divisão sempre foi:

    Direta = busca defender liberdades individuais
    Esquerda = procura a igualdade entre pessoas.

    • Igor disse:

      Essa divisão é um pouco simplista: falta analisar a prática – histórica e atual – da esquerda e da direita. Pelo menos no plano pragmático brasileiro.

      Em nossas terras (que se diferenciam da visão mundial), a esquerda está mais para quem defende a liberdade individual (através dos conceitos de igualdade) do que a direita (que tem se posicionado, na defesa da “moral e dos bons costumes” contra as liberdades individuais). No campo contrário, a esquerda defende o intervencionismo econômico, enquanto a direita defende o liberalismo econômico (embora este liberalismo seja deixado de lado na primeira crise econômica grave…).

      Na verdade, essa divisão entre esquerda e direita é tola: serve para criar pólos. O certo é ver cada teoria por si, inclusive quando ela é colocada em prática, e daí aderir ou não. Ou ser crítico, revisar ou adaptar. Só para se ter noção, a noção de liberdade individual do liberalismo é tida como esquerda em quase todo o mundo, assim como é a noção de igualdade. E a direita está mais voltada ao nacionalismo, às teocracias, ao conservadorismo, às tradições acríticas, etc. Isto quebra essas noções clássicas de esquerda e direita…

    • Eduardo Henrique disse:

      Como a direita no Brasil seria defensora das liberdades individuais tendo apoiado a ditadura brasileira.
      A abordagem do Igor tem maior abrangência..
      atte.

  3. Tem conceito errado. Tanto esquerda como direita reconhecem a existência de luta de classes no capitalismo, tanto assim o é que cada qual defende interesses próprios. Uns são chamados de produtores, outros exploram a mão de obra. Quem explora a mão de obra quase sempre tem uma vantagem econômica superior, daí distinguir-se uma classe detentora dos meios de produção e a outra que conta com a sua força de trabalho que faz gerar a riqueza.

  4. ELLA oLIVEIRA disse:

    O PSDB representou mais uma social democracia, pois admite a alternância de poder dentro do capitalismo.

    E O ALKMISTA NO PODER HÁ TRÊS SÉCULOS???

  5. Marcos disse:

    PSDB defende alternância de poder? Desde quando?
    Estão no governo do estado de são Paulo desde os anos 90.
    Estado paulista está todo aparelhaso pela maquina partidária tucana. Até a ALESP. Vide o escândalo da merenda escolar.
    Hipócritas! Fazem igual ou pior e criticam o PT!

  6. Não existe sistema justo porque a vida no seu nascedouro não é justa. Enquanto um nasce atleta, outro nasce aleijado. Enquanto um nasce gênio, outro nasce com déficit mensal ou idiota. Um nasce no berço de outro, outros nascemos pobres. Mas a verdadeira social democracia busca dar a todos uma condição mínima de vida digna aos menos favorecidos. Óbvio que os privilegiados pelo destino sempre usufruirão mais, não tem como promover essa plenitude para todos.
    Mas também num sistema social democrata de verdade é cobrado aos mais abastados um ônus maior, como compromissos trabalhistas, mais impostos e é isto que falta no Brasil, o verdadeiro social democrata com capacidade para tal promoção. Agora salário tem que estar ligado à produtividade. Quanto mais um empregado produzir, mais ele deve ser remunerado gerando riqueza para o dono do capital e consequentemente gerando mais riquezas e impostos para o estado promover o bem estar social de todos. Aqueles que herdam e não sabem trabalhar o capital, acabam pobres e é isso que merecem. Afinal devemos prestigiar a meritocracia.
    Mas num sistema socialista. Principalmente o bolivariano, como o que o PT que nos legar é o que nivela a todos na miséria e na carência. Só favorecendo os donos do poder.

  7. Mara disse:

    Obrigada, foi muito útil seu texto.Agora
    Sei minha posição política. Mas acho que
    O Brasil nunca vai ter um governo social
    Democracia pq pra isso precisa existir um negócio
    Que o povo brasileiro tá é longe de saber.. educação

  8. Brenda disse:

    É correto chamar o social democrática de” centro” por favor me responda

Leave a Reply

WhatsApp chat