Feed on
Posts
Comments

O áudio do artigo.

Link encurtado: https://bit.ly/artigobimodal181021

Novas Hashtags

#sapiens_2.0 – as mudanças da espécie diante do Digital.

Resumo do artigo em tabela:

A quem se destina o artigo abaixo:

Saiba mais sobre a divisão acima, neste artigo.

Vamos ao artigo:

“Se uma revolução na sociedade fosse facilmente compreendida de imediato, não seria uma revolução.” – Shirky.

Temos como desafio neste artigo duas questões:

  • o Sapiens é Midiático? – ou seja, se modifica quando temos novas Mídias? Ou ainda: Mídias são tão marcantes assim para a nossa espécie?
  • o Digital nos leva ao Sapiens 2.0? – caso sim, podemos dizer que temos hoje algo tão marcante que podemos definir que tudo que fizemos até aqui foi fruto do Sapiens 1.0 e daqui por diante será do Sapiens 2.0?

Vamos às tentativas de respostas.

O Sapiens é Midiático?

Se compararmos o Sapiens com as outras espécies animais, principalmente as Espécies Sociais, vamos observar que todas as outras têm um Modelo de Sobrevivência Instintivo.

O Sapiens tem  um Modelo de Sobrevivência baseado em uma uma adaptação, ao longo do tempo, Tecnocultural Progressiva.

O Sapiens é muito mais artificial do que natural ou, se quiserem, naturalmente artificial.

O Sapiens cria a sua própria sobrevivência, através de escolhas e delas depende a sua qualidade de vida.

O Modelo de Sobrevivência do Sapiens foi, assim, criado, ajustado, adaptado, através de um processo de Inovação Progressiva.

A Inovação Progressiva é uma característica de espécies Tecnoculturais (podem haver outras no universo, mas somos os únicos aqui na Terra).

Assim, ao longo do tempo vivemos dentro de um Espiral Progressivo com três macro fatores de mudanças civilizacionais:

  • o aumento do Patamar Demográfico (Fator Causante de Revoluções  Civilizacionais);
  • o surgimento de novas Mídias, que nos permite criar novos Modelos de Comunicação (Fator Detonante de Revoluções Civilizacionais);
  • o surgimento de novos Modelos de Sobrevivência (Fator Consequente de Revoluções Civilizacionais).

A nossa espécie, a partir da chegada e massificação de novas mídias passa a criar Zonas de Atração, que se utilizam, de forma mais inteligente, criativa e inovadora das novas Tecnopossibilidades disponíveis.

As Zonas de Atração servem de balizamento para todas as outras regiões, que vão, por opção migrando para um modelo similar, pois se percebe que se consegue resolver os antigos e novos problemas de uma forma mais adequada.

Assim, podemos dizer que a Macro-História humana é dividida de forma mais adequada, da seguinte forma: a Era Gestual, Oral, Escrita e, agora, a Digital.

Quando passamos a ter novas Tecnopossibilidades Midiáticas, o Sapiens passa a resolver problemas de uma forma que ante era NÃO era possível.

Pode-se dividir as Eras Civilizacionais de forma diferente se o foco for algo específico, tal como pela forma de nos alimentarmos, de nos vestirmos ou de produzir energia.

Porém, a ÚNICA forma de entender as principais mudanças que o Sapiens passou e que REALMENTE fizeram diferença, tendo a Sobrevivência como foco principal, é a Divisão das Eras Civilizacionais, a partir das Mídias.

Assim, podemos dizer que tivemos no passado:

  • o Sapiens 0.0 – Gestual;
  • o Sapiens 1.0 – Oral;
  • 0 Sapiens 1.1 – Escrito Manuscrito;
  • O Sapiens 1.2 – Escrito Impresso.

Importante destacar que nenhuma das versões do Sapiens é melhor do que os anteriores, mas, apenas, a cada nova etapa, passa a lidar melhor com o sempre novo Patamar Demográfico.

Podemos dizer que o Sapiens não melhora ou evolui, apenas se adapta aos desafios que a Complexidade Demográfica Progressiva vai impondo.

O Digital nos leva ao Sapiens 2.0?

Defendida a tese, através dos argumentos acima, de que SIM somos uma espécie que tem uma Sobrevivência Progressiva e que os novos ciclos começam, a partir da chegada e massificação de novas Mídias, cabe procurar responder a segunda questão:  o Digital nos leva ao Sapiens 2.0?

O Ambiente Midiático Digital é muito diferente de tudo que já experimentamos em termos de Revoluções Midiáticas passadas.

Algo que foi similar a todas as outras revoluções, com o surgimento de novos Canais Midiáticos:

  • a quebra do tempo e lugar;
  • o empoderamento informacional em larga escala;
  • novos recursos para processar e armazenar a informação.

Novos Canais Midiáticos têm permitido o aprimoramento do Modelo de Sobrevivência 1.0 (Analógico), no qual o Sistema de Comando e Controle era e continua a ser feito OBRIGATORIAMENTE por um Gestor.

De forma disruptiva e exponencial temos agora, algo que não ocorreu no passado com o surgimento de novas Linguagens Midiáticas:

  • a introdução, em larga escala, da nova Linguagem dos Rastros.

A nova Linguagem dos Rastros tem permitido o surgimento de um novo Modelo de Sobrevivência 2.0 (Digital), no qual o sistema de Comando e Controle NÃO é MAIS feito por um Gestor, mas, cada vez mais, organizado pelos usuários, através das diretrizes traçadas por um Curador.

Hoje, na Administração 2.0 se cria Comunidades de Consumo, na qual o administrador gerencia as atividades, mas não mais as controla como antes.

Do ponto de vista comparativo da atual Revolução Midiática com a dos passados, podemos perceber que introduzimos na sociedade a possibilidade de um novo Modelo de Sobrevivência Disruptivo.

Nunca antes na história do Sapiens foi possível criar Ambientes Produtivos Uberizados, como agora.

Muitos acreditam que a Uberização é apenas mais um modelo de negócio, não é. É o início de um processo de Curadorização da Sociedade, que vai se estender progressivamente a todos os setores de forma distinta.

Se comparado com outras espécies, o novo Modelo de Sobrevivência 2.0 inicia o processo de passagem de Espécies Sociais com Patamares Demográficos menores, tais como mamíferos, para as que têm Patamares Demográficos maiores, tais como os Rastros Químicos, mais comuns nos insetos.

Insetos se utilizam de Rastros Químicos devido ao seu Patamar de Complexidade.

Pela primeira vez o Sapiens, passa a utilizar o Modelo de Sobrevivência 2.0, não mais baseado em Rastros Sonoros, como no passado, mas a se utilizar dos Rastros Digitais.

As Organizações 2.0 ou os Ubers só são possíveis, pois passaram a se utilizar do Modelo de Sobrevivência 2.0, no qual os usuários ganham muito um protagonismo inédito, só possível por causa da nova Linguagem 2.0.

As diferentes versões do Sapiens, assim, são resultados das mídias disponíveis e dos Ambientes de Sobrevivência, que são criados, a partir disso.

O Sapiens 2.0 é aquele que passou a não só como as outras versões:

  • conviver com uma abundância de informação muito maior;
  • está cada vez mais independente do tempo e lugar;
  • tem a capacidade de interagir e se informar de forma cada vez mais independente.

Mas também, de forma inédita:

  • passa a poder criar Ambientes Produtivos com cada vez mais participação dos usuários, não mais se utilizando da Gestão, mas da Curadoria.

Todas estas novidades nos permitem vislumbrar o início da Civilização 2.0 bem diferente de todas que tivemos até aqui.

O Ambiente de Sobrevivência, assim como o novo Sapiens e novo Sapiens, define o novo Ambiente de Sobrevivência.

Portanto, o Sapiens 2.0 dá ainda seus primeiros passos, mas já podemos dizer que ele existe e quer uma nova sociedade para chamar de sua.

É isso, que dizes?

Quer sair de Matrix e não sabe onde comprar a pílula vermelha? Me manda um Zap: 21-996086422 (Nepô, quero sair de Matrix!)
Ou: https://sun.eduzz.com/932565

Quer ser um parceiro da BIMODAIS e ganhar a cada aluno novo indicado? Entre por aqui: https://bit.ly/bimodalparceiro

Quer comprar o último livro feito dentro da escola “Civilização 2.0”, é por aqui:
https://sun.eduzz.com/347192

GRIFOS EM NEGRITO: CONCEITOS BIMODAIS

GRIFOS EM NEGRITO E AZUL: NOVOS CONCEITOS BIMODAIS (MARCO A COR SÓ NA PRIMEIRA VEZ QUE APARECE, DEPOIS FICA EM NEGRITO).

GRIFOS EM NEGRITO E AZUL SUBLINHADO:LINKS PARA AS HASHTAGS BIMODAIS.

GRIFOS EM ITÁLICO E VERMELHO: DESCRIÇÃO DE CONCEITOS BIMODAIS CLÁSSICOS.

GRIFOS EM ITÁLICO E ROXO: DESCRIÇÃO DE NOVOS CONCEITOS BIMODAIS.

GRIFOS EM NEGRITO E VERDE: NEOLOGISMOS BIMODAIS PARA MELHORAR A NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E MARROM: HASHTAGS BIMODAIS PARA ORGANIZAR A NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E LARANJA: SÃO AS REGRAS BIMODAIS DENTRO DA NARRATIVA.

GRIFOS EM NEGRITO E ROSA: SÃO AS PROJEÇÕES BIMODAIS DENTRO DA NARRATIVA.

PALAVRAS EM CAIXA ALTA E NEGRITO: CHAMANDO A ATENÇÃO DO LEITOR PARA ALGO ESPECÍFICO, DO TIPO OBRIGATORIAMENTE.

Os parágrafos que estão deslocados foram selecionados como as melhores frases do mês ou as definições conceituais mais relevantes, que são enviadas regularmente para os Bimodais e incluídas no Mapa Mental dos Bimodais para consulta permanente.

O presente artigo se encaixa nos seguintes tópicos no ROTEIRO – MAPA MENTAL BIMODAL:

(Entre para a Escola para ter acesso completo ao MAPA MENTAL BIMODAL com o roteiro da formação, no qual temos os links para todos os artigos e áudios sobre as nossas diversas Metodologias Futuristas. Aqui, você terá a possibilidade de dialogar sobre as metodologias com o Curador da Escola e com os outros Bimodais. Mande um Zap: 21-99608-6422.)

 

Leave a Reply

WhatsApp chat