A realidade sempre vence a representação, o marketing deve gerar valor real– Frank Striefler – da coleção;

Temos a ilusão de que estudamos assuntos.

Inviável.

Nos debruçamos sobre problemas.

E nosso objetivo com eles é procurar ações viáveis para gerar valor.

Todo o resto é fumaça, perda de tempo.

A humanidade procura soluções de valor para continuar seguindo com mais qualidade.

Todos tendem a essa meta, apesar de nos perdermos muitas vezes pelo caminho.

Se temos como fenômeno de estudo a Internet, portanto, temos como questão central:

Como gerar valor com a Internet para a sociedade?

E isso se dá através do desenvolvimento de ações viáveis.

Ou seja, atos que faremos que tornarão aquele instrumento uma ferramenta de valor.

Para que isso aconteça um conjunto de fatores têm que estar bem alinhados:

- Os princípios éticos que iremos analisar qualquer fenômeno, seja ele qual for. Diria que se resume basicamente, entre prever a inclusão dos seres vivos do mundo no projeto (incluindo pessoas). Isso é o valor de longo prazo mais valioso de qualquer projeto. Ou seja, em nome de que ética estamos agindo;

- Depois, passamos a compreensão histórica do fenômeno, o que podemos chamar de teoria macro, que nos dá um cenário geral das causas, das consequências e das condições variantes de como ele se desenvolve, no caso a Internet (detalhei mais isso aqui.);

– Depois disso, iremos detalhar, a partir dos princípios e da compreensão histórica, as estratégias gerais, apontando as grandes tendências, ou seja, de onde partimos e onde queremos chegar;
– O detalhamento de que projetos devem ser feitos, as ações viáveis para tirar determinado grupo do ponto “A” para o ponto “B”;

– E, por fim, as medições que serão feitas para saber se estamos, de fato, gerando o valor definido nos princípios que nortearam todo o processo.

Quando se pensa em valor, não se exclui o lucro, que deve ser consequência do processo e não motivo principal.

As empresas que geram mais lucro, são justamente aquelas que não os persegue alucinadamente.

É isso,

Que dizes?