Feed on
Posts
Comments

Eis o triângulo do conhecimento:

(Recomento ler mais sobre este assunto nessa discussão sobre dicotomia entre teoria e prática.) (E esse sobre a anatomia das teorias.)

(Ver uma aplicação prática na comparação de dois vídeos, aqui.)

 

triangulo_CONHECIMENTO

 

Podemos dizer que cada patamar discute questões distintas, a saber:

  • Filosofia – o que eu posso conhecer? E quem somos nós? Quais são meus limites e possibilidades?
  • Teoria – quais as forças estão em movimento em um dado fenômeno? Como se relacionam em cada contexto? Qual tem mais força e quando?
  • Metodologia – técnicas para administrar as forças, a partir das teorias e filosofias adotadas nas metodologias escolhidas. 

A metodologia é sempre aquilo que toca no mundo. A teoria baliza a metodologia. E a teoria é condicionada pelo pensamento filosófico.

  • Filosofias e teorias não tocam no mundo.
  • Filosofias ajudam a fazer teorias.
  • E teorias ajudam a fazer metodologias;
  • As metodologias são, no fundo, o teste para sabermos se as teorias e filosofias escolhidas e adotadas fazem sentido.

Quem não vê as filosofias e teorias embutidas nas metodologias terá muita dificuldade nas grandes crises, pois ficará com um anzol pequeno tentando pescar baleias.

Ou seja, quanto maior ou desconhecida é a crise, mais teremos que subir, pois pode ter algo de como vemos o ser humano que está equivocado e precisa de uma revisão.

investigacao

Quando temos problemas de implantação de metodologias, podemos ter, o que é sentido por crises, pois a vida não se adapta à metodologia, mas a metodologia deve se adaptar à vida:

  • – erro de aplicação da metodologia;
  • – ou erro de visão teórica, embutida na metodologia;
  • – ou erro de visão filosófica, embutida na teoria.

Dependendo da crise, temos que ir subindo no triângulo para depois descer no caminho inverso.

  • Quando subimos da metodologia para cima, chamamos isso de método indutivo, pois organizamos o pensamento de baixo para cima;
  • Quando descemos da filosofia/teoria para baixo, chamamos isso de método dedutivo, pois organizamos o pensamento de cima para baixo.

Como vemos na figura abaixo:

triangulo2a

Note que não podemos dizer que nem o método indutivo e nem o dedutivo é o mais adequado. O que existe é a necessidade de criar um caminho contínuo, tendo em vista que toda teoria e filosofia é colocada à prova em uma metodologia e vice-versa.

Assim, teríamos um método circular indutivo-dedutivo.

O que podemos representar nessa figura:

metodo_circular

 

  • Porém, em momentos de contração cognitiva, a tendência maior é nos fixarmos na indução o que nos leva à problemas.
  • E na expansão, a tendência maior é nos fixarmos na dedução, o que também nos leva à problemas.

É isso, que dizes?

  • Veja aqui a aplicação do triângulo do conhecimento no estudo das mudanças cognitivas.
  • E aqui como a filosofia é o topo de todas as montanhas do conhecimento.

Versão 1.2 – 12/11/2013 – Colabore revisando, criticando e sugerindo novos caminhos para a minha pesquisa. Pode usar o texto à vontade, desde que aponte para a sua origem, pois é um texto líquido, sujeito às alterações, a partir da interação.

 

11 Responses to “Triângulo do conhecimento”

  1. […] na prática, se a teoria tem funcionado e, caso não, o que há de problema nos três níveis do triângulo do conhecimento, filosofia, teoria e/ou […]

  2. […] Na tese teórica, quanto mais se questiona a maneira de pensar, mas se acha absurdo o jeito que se pensa hoje sobre um dado tema, mais vai se subindo para a filosofia, como tenho demonstrado aqui no triângulo do conhecimento. […]

  3. […] por exemplo, criei o conceito do triângulo do conhecimento, que nem é meu, pois já ouvi mais gente falando sobre estas três instâncias (vi algo assim […]

  4. […] Todo problema é um problema prático, que quando vai se sofisticando vai se tornando teórico, ou mesmo filosófico, veja aqui o triângulo do conhecimento. […]

  5. […] primeira abordagem para se contornar um problema, como vimos aqui no triângulo do conhecimento, de um problema é metodológica, que é mais rápida e barata. O que estou fazendo de forma […]

  6. […] entretanto, que tanto uma como a outra é fruto do que chamei de triângulo do conhecimento, que tem acima delas o pensamento, tanto teórico (forças, relações entre elas e contextos) e […]

  7. […] Tenho feito um esforço para criar uma corrente de pensamento que trabalha em quatro instâncias, como detalhei no triângulo do conhecimento. […]

Leave a Reply to O conhecimento pela negação | Nepôsts - Rascunhos Compartilhados

WhatsApp chat