Feed on
Posts
Comments

Category Archive for 'A crise da intermediação analógica'

Hoje, vivemos uma dupla crise no Brasil e na América Latina. A crise conjuntural de um modelo bolivariano de visão política pós-ditadura totalitário, que fecha um ciclo de uma luta de centralizadores do século passado. Os centralizadores ditos de direita contra os centralizadores ditos de esquerda, ambos sob a égide do final de um ciclo […]

Read Full Post »

Do meu ponto de vista, não existe esquerda e direita, mas apenas centralizadores e descentralizadores.   O século passado foi o século da centralização, pois tivemos dois fenômenos combinados e sinergéticos:   – pico demográfico radical: – e radical concentração de mídia.   Os dois fatores nos levaram a ter opções apenas centralizadoras no cardápio: […]

Read Full Post »

Muita gente agora quer, no futuro, só políticos honestos no Brasil. Independente do que a pessoa pensa, o que se quer é votar em quem é “de confiança”. O problema é que existe duas coisas ai. Uma é a forma que cada pessoa vê a sociedade e o modelo de transparência e participação social. Que seria […]

Read Full Post »

A forma como consideramos que a sociedade humana avança está intoxicada. As ciências sociais não deram peso devido às chegadas e mudanças provocadas pela massificação das tecnologias cognitivas (que expandem o nosso cérebro) e o incentivo que estas têm em picos demográficos. Temos que recomeçar a visão da história humana em uma nova encruzilhada, na […]

Read Full Post »

A grande mudança do século XXI é o fim da relação patrão-empregado. A morte dos gerentes. Não estamos, portanto, assistindo a chegada de novos modelos com a cultura Uber, mas novos modelos de organização! Como isso é possível, perguntarão? E isso só pode ser compreendido se olharmos a nossa espécie como uma tecno-espécie, que sofre uma doença crônica […]

Read Full Post »

Inovação Participativa – o que é e como ajudar as organizações tradicionais a se manter competitivas no ambiente digital? Link para a versão mais atual da apresentação que farei na Gartner no dia 22 de outubro de 2015 – 14:30 – 15:00: http://goo.gl/waiuuT Este texto já saiu nos seguintes locais: Telequest – Ethevaldo Siqueira V. 3.0.0 […]

Read Full Post »

Ciência chega de pares vamos aos ímpares! from Carlos Nepomuceno

Read Full Post »

PPT. Ciência da informação quando chegamos ao "Ponto G" from Carlos Nepomuceno

Read Full Post »

Esta é uma entrevista que concedi para alguns alunos, mas acabou não sendo utilizada por problemas operacionais do jornal da escola e reproduzo aqui. O que vai acontecer no mundo pós-Internet? O grande movimento é em direção ao empoderamento do cidadão. Vamos refazer todas as organizações. Por quê? Dois motivos. O pico demográfico dos últimos […]

Read Full Post »

Desenvolvi mais o tema aqui. Esta frase diz muito, do livro “O que é liberalismo”, de Donald Stewart Jr, que fiz o resumo aqui. O problema é que estranhos não confiam um no outro. E aí temos a ponte entre a Economia e a Antropologia Cognitiva. Um sistema econômico é estruturado dentro de barreiras tecnológicas, que definem até […]

Read Full Post »

Teorias são feitas, a partir de esforços para entender um dado fenômeno, através de uma lógica argumentativa. Uma teoria cria, assim, uma lógica para ser questionada. Ela é feita, segundo Popper, para ser massacrada. O quer chegar vivo do outro lado é o que é mais consistente. Impressões sobre um fenômeno não criam uma lógica. […]

Read Full Post »

Volta e meia chega alguém, como se fosse um consumidor revoltado, definindo o que você deveria ou não deveria colocar na sua linha do tempo. Viemos um mundo de personal mídias. E tem gente que ainda está girando na mídia de massa. Hoje vivemos a mídia de missa e cada um tem a sua “paróquia”. […]

Read Full Post »

O monoteísmo é filho da escrita. Sem a escrita, não haveria a Torá, a Bíblia e o Alcorão. O monoteísmo foi a base filosófica-religiosa da Governança da Espécie, que inicio a Era Cognitiva Escrita-Oral, que termina agora com o digital. Todo o modelo organizacional de hoje é filho da Escrita e dos modelos hierárquicos religiosos e depois […]

Read Full Post »

A base da defesa da livre concorrência pela Escola Austríaca de Economia (EAE) é simples. Preços são indicadores de decisão; Sem a liberdade das trocas, os indicadores são falhos; Sem preços confiáveis, os agentes produtivos passam a erra na mão. Consequência: mais custo e menos benefício para a sociedade. Não se defende a liberdade econômica por motivos abstratos, […]

Read Full Post »

As manifestações anti-Dilma tem convocações digitais, mas decisões do que fazer analógicas.  As recentes manifestações de massa foram convocadas pelas redes sociais. E logo apareceram grupos que passaram a comandar a massa. É o nosso modelo de representação híbrido. Há muita gente que quer ir para as ruas e conseguimos ir além dos modelos tradicionais, através […]

Read Full Post »

Vamos aos fatos. No livro, “Mídias sociais na Organização”, da M.Books, Anthony Bradley e Mark McDonald apresentam uma pesquisa que diz o seguinte: Das 400 empresas entrevistadas nos Estados Unidos, que tiveram algum tipo de projeto com vistas à colaboração de massa pelos seus empregados, 10% obtiveram sucesso (teríamos que ver o que chamam sucesso), […]

Read Full Post »

Não estamos construindo uma sociedade melhor ou pior, mas, de forma natural, estamos indo em direção a um mundo mais compatível com a demografia que criamos. Defendi aqui a ideia de que novas tecnologias alteram a nossa tecno-cultura. Dito isso, vou defender a ideia de que não existe nada mais radical para a nossa tecno-cultura do […]

Read Full Post »

O que posso dizer é que somos uma espécie que decidiu ser tecno para ser espécie. Quando se fala na influência cultural da Internet no mundo, lá vem uma galera defender a ideia da tecnologia neutra. “O ser humano faz da tecnologia o que ele quiser”. Sim, individualmente, em alguns casos. Mas não coletivamente. Seria […]

Read Full Post »

No meu livro de 2013, Gestão 3.0, defendi um novo modelo de aprovação de textos, dentro de Plataformas Digitais Participativas, criando um novo ambiente de produção acadêmica, mais voltado para a sociedade. Hoje, quero questionar não mais, apenas, a forma como os textos são aprovados e publicados, mas a forma, o critério que adotamos para […]

Read Full Post »

Muitos dizem que o futuro é incerto. Mais ele pode ser mais ou menos incerto. Vivemos um momento complexo e as organizações tradicionais estão cometendo alguns equívocos diante do futuro, que tem ficado mais incerto do que deveria ou se gostaria. Depois de 20 anos vivendo de estratégia digital, com mais de 450 projetos executados, cheguei […]

Read Full Post »

Mercado: lugar público onde negociantes expõem e vendem gêneros alimentícios e artigos de uso rotineiro. As pessoas gostam de demonizar a palavra “mercado”. E colocam uma falsa dicotomia entre mercado versus estado. Não existe sociedade humana sem trocas, pois o ser humano precisa sobreviver. Quanto mais humanos, mas demanda, quanto mais demanda, mais trocas, quanto […]

Read Full Post »

Falta um estudo antropológico cognitivo sobre Deus. Deus é aquilo que nossa capacidade cognitiva é capaz de conceber. Pressinto que todas as religiões abraâmicas só surgiram a partir da chegada da escrita. O Deus único, vindo verticalmente se comunicar com os seres humanos, é o Deus da Escrita. Aquele que tem uma mensagem e se […]

Read Full Post »

Já faz tempo que trabalho com o conceito do pêndulo cognitivo. Defendo que a sociedade humana, do ponto de vista da macro-história, tem dois ciclos bem demarcados: – de concentração – quando há aumento demográfico e manutenção de mídias concentradoras; – de descentralização – quando há a chegada de mídias descentralizadoras. Temos no mundo, assim, […]

Read Full Post »

Toda mídia estabelece canais de comunicação na sociedade. E estes definem as possibilidades de transações comerciais. Ninguém negocia com quem não consegue se comunicar. E ninguém negocia em quem não pode confiar. Uma das coisas mais importantes da atual Revolução Cognitiva digital é possibilitar a transação informacional e econômica entre desconhecidos, matando obsoletos intermediários e […]

Read Full Post »

Se puder resumir os 20 anos de pesquisa sobre Internet diria o seguinte. Picos demográficos provocam Revoluções Cognitivas. Revoluções Cognitivas provocam modelos mais descentralizados e sofisticados de Governança; Modelos mais sofisticados de Governança provocam picos demográficos. É o resumo do que consigo compreender sobre a chegada da Internet no planeta, que é parte de uma […]

Read Full Post »

Uma cosmovisão é criada por pessoas. Teóricos ou religiosos, que apresentam uma visão completamente nova do mundo. Uma cosmovisão é o epicentro de uma nova cultura que surge. Todas as cosmovisões precisam de um novo meio para se propagar. Posso dizer, portanto, que quando temos uma Revolução Cognitiva, iniciamos um novo ciclo de cosmovisões. As […]

Read Full Post »

O ser humano é a única espécie que altera a sua complexidade demográfica. Os outros animais criaram uma relação de sobrevivência baseada na quantidade de membros. Cada espécie tem um modelo de comunicação e governança adaptados para o tamanho da espécie. Uma alcateia de lobos é sustentável para um determinado número de indivíduos, bem como uma manada […]

Read Full Post »

A história não se repete, pois ela não é um círculo que dá no mesmo ponto, como poderia se imaginar na figura abaixo. Vivemos muito mais em um movimento espiral, em que há momentos em que há similaridades, porém com conjunturas diferentes, como vemos abaixo:   Podemos dizer que Revoluções Cognitivas fecham longos ciclos históricos […]

Read Full Post »

Não podemos, entretanto, dizer que temos culturas, mas tecno-culturas, pois nossas limitações físicas são quase as mesmas, desde que quando descemos das árvores. O que mudou radicalmente foi a nossa capacidade de nos empoderarmos com tecnologias. Para meus objetivos de intervenção na realidade, defino cultura como: “Um conjunto de pensamentos e ações que um determinado grupo […]

Read Full Post »

Esta é uma dúvida que muitos alunos me fazem em sala de aula. Na verdade, não. Mas haverá uma reciclagem geral no que imaginamos o que é liderança. Liderar é assumir um papel de protagonista para tomada de decisão. Quem lidera, parte-se do principio, que tem mais clareza e propósitos coletivos para ajudar a sociedade […]

Read Full Post »

Uma sociedade precisa criar instrumentos para produzir verdades mais verdadeiras. Ou seja, é preciso que organizações sejam criadas com credibilidade para serem referências para que decisões sejam tomadas pela sociedade. Isso faz parte inerente de todas as espécie, há que se escolher líderes que possam ser a referência em momentos de tomada de decisão. São […]

Read Full Post »

 A co-laboração é o trabalho conjunto. A participação é a ideia de fazer parte. Qual a diferença quando analisamos a Revolução Cognitiva Digital. O que se está procurando com os projetos digitais participativos não é aumentar a colaboração, que é um sub-produto de tudo, mas aumentar a participação da sociedade nas decisões. Um projeto de […]

Read Full Post »

Tenho trabalhado muito com o conceito de Tecnologias Cognitivas, que empoderam o cérebro em várias áreas. Porém, acredito que um dos aspectos mais relevantes das Tecnologias Cognitivas, além de outros, é criar Tecnologias de Participação. Tecnologias de Participação permitem que fronteiras culturais sejam rompidas. Note que as organizações são estruturadas para tomar decisões por nós. É […]

Read Full Post »

A queda de 46% para 10% em três meses pode ser explicada pelo modelo de campanha da presidente, no chamado marketing político anti-republicando, que foi executado, ao estilo do Foro de São Paulo pelo seu marqueteiro principal: João Santana. De maneira geral, o conceito da república é: – cosmovisões diferenciadas que convivem na mesma sociedade, […]

Read Full Post »

Tem muita gente empolgada com o Podemos Espanhol, que aponta para uma “nova forma de fazer política”. Quero me posicionar de forma bem pessimista em relação a ele. Cheguei a conclusão que teremos versões diferentes do que estamos chamando de Democracia Digital. Não quero dizer que depois das fortes crises que o Podemos irá passar, principalmente […]

Read Full Post »

Populistas são como vendedores de biscoitos no sinal: oportunistas. Vivemos um retrocesso no início deste século. Há um oceano de gente excluída pelas organizações de plantão. O século passado, marcado pela concentração de ideias, criou taxas altíssimas de excludentes sociais. Vivemos, como no fim da Idade Média, no qual há centros de poder pouco preocupados com o conjunto […]

Read Full Post »

Temos associado que só é possível ser “bom” ou éticos se temos debaixo de nós (ou acima) uma religião. Religiões, a meu ver, são definidas pela sua proposta diante da morte e a sua grande força é justamente esta: dar conforto, respostas para as pessoas diante dessa tragédia humana. Sabe que vai morrer e não […]

Read Full Post »

Acredito que temos cosmovisões, como detalhei aqui, coletivas e individuais. Uma influencia a outra, porém, cria a diversidade que caracteriza a espécie humana. A cosmovisão individual, acredito eu, é definida por alguns valores, mas principalmente pela relação que a pessoa tem com a morte e o legado que pretende deixar ou não deixar. Uma pessoa […]

Read Full Post »

Vejamos a tabela abaixo: Note que existe no computador uma área acessada apenas por hiper-especialistas, que são os códigos de máquina. É ali que as peças se entendem entre si. Por sobre elas, temos um sistema operacional que “conversa” com os códigos de máquina e permite que sejam desenvolvidos aplicativos. Ou seja, o sistema operacional […]

Read Full Post »

Há um debate hoje sobre o pensamento binário esquerda e direita, que faz parte de um debate do século passado, que é fruto, a meu ver, de uma cosmovisão marxista. Há uma divisão entre ricos/maus/perversos (direita) e pobres/bons/salvadores (esquerda). Quando tentamos abandonar esse binarismo, vamos cair em outro binarismo ou iremos para um pensamento não binário? […]

Read Full Post »

Uma campo de estudos na área social traz para a sociedade a possibilidade de analisar a sociedade sob um novo ponto de vista. A Antropologia Cognitiva, que se dedica ao estudo das rupturas de mídia no passado, analisar uma “time line” de tempo muito longa, pois mudanças de mídias demoram séculos a acontecer e a mostrar […]

Read Full Post »

Superar crises, portanto, um exercício de superar narrativas! Crises humanas são resultados de testes pouco eficazes de uma dada metodologia; Metodologias partem de teorias das forças em movimentos; Que partem de uma visão filosófica geral que qualifica e dá peso a estas forças. Assim, está embutida em uma crise uma dada visão de mundo em diferentes […]

Read Full Post »

Marilena Chauí diz que odeia a classe média, mas foi a classe média, incluindo ela, que criou o PT. Foi a classe média que sempre criou inovação no país, pois tem capacidade de pensar algo diferente e uma insatisfação que os mais riscos não têm. Todo o país que gera riqueza é um país que […]

Read Full Post »

Tivemos duas manifestações no Brasil esta semana. Uma, organizada pelos meios e organizações tradicionais, baseados no ambiente cognitivo analógico, no dia 13/03/;15, com pouca gente. Outra, organizada pelos novos meios e organizações inovadoras, baseadas no ambiente cognitivo digital, no dia 15/03/;15, com um número expressivo de pessoas. A crise que vivemos hoje é de raiz  cultural, dentro dos […]

Read Full Post »

O final de uma Era Cognitiva é sempre marcada por uma separação entre o pensar e o fazer. Os pensadores estão distantes dos fazedores. Cria-se filosofias e teorias no vazio, pois não se constroem metodologias (e destas metodologias) para saber se faz algum sentido. O mundo acadêmico vive da publicação de artigos por artigos, essa […]

Read Full Post »

Discuti aqui de que a sociedade humana precisa valorar atores e processos para que possa tomar decisões. E existem duas formas de se fazer isso. De dentro das organizações para fora, com baixa participação da sociedade, o que nos leva a um aumento do custo e uma redução dos benefícios, por uma falta de precisão. De […]

Read Full Post »

Uma das grandes críticas da Escola Austríaca de Economia, em especial Mises, contra o socialismo é justamente o fato de que numa sociedade sem mercado, não é possível valorar as coisas, nem definir preços.   Aqui, Mises se encontra com Pierre Lévy, que fala de inteligência coletiva. A livre troca entre as pessoas tem o […]

Read Full Post »

Um fato interessante ao se estudar Revoluções Cognitivas e viver o início de uma delas é perceber como é difícil passarmos de um modelo estratégico de semanas para o de séculos. O final de uma Era Cognitiva, que durou 500 anos, da chegada do papel impresso até hoje, nos coloca em uma grave crise, na qual as […]

Read Full Post »

Há dois grandes erros das organizações analógicas. O primeiro é não conseguir enxergar a mudança cultural radical que estamos vivendo na sociedade. O que as coloca em um processo de alto risco, de ver surgir um novo concorrente, que consegue introduzir uma nova cultura cognitiva, mais eficaz, com uma relação de custo/benefício muito superior à […]

Read Full Post »

A grande crise que vivemos hoje é que as organizações atuais, que fazem a intermediação na sociedade, passaram anos e anos aprendendo a lidar com a intermediação analógica. A intermediação analógica, baseada no papel impresso, criada em 1800, com as revoluções liberais, que estruturaram a república e o capitalismo, foi concebida para um mundo de 1 bilhão […]

Read Full Post »

As intermediações sociais, sejam elas políticas, econômicas, religiosas são conjunturais, pois variam conforme a Era Cognitiva. Ou seja, as intermediações são fortemente influenciadas pelas Tecnologias Cognitivas disponíveis. Tivemos, assim, três modelos de Intermediações sociais: – a intermediação oral – baseada na fala; – a intermediação escrita ( que podemos chamar de analógica) – baseada no […]

Read Full Post »

Vimos aqui o conceito de intermediação. Quero falar agora da taxa de qualidade da intermediação. A intermediação terá uma baixa qualidade quando ela tiver um alto custo e baixo benefício para quem a utiliza. A intermediação, portanto, se constitui em uma organização que ganha o poder da sociedade para prestar algum serviço ou fazer algum […]

Read Full Post »

Uma sociedade com poucos habitantes tem uma baixa complexidade. E uma taxa de intermediação menor e vice-versa. O ser humano, em podendo sobreviver do seu próprio trabalho, em uma cultura de sobrevivência, tem uma baixa taxa de intermediação social. Quando uma sociedade aumenta o número de membros, há a necessidade de uma maior divisão do […]

Read Full Post »